O segmento dos produtos orgânicos cresce no mercado mundial, desde 1999, em especial pela agricultura orgânica, que é praticada em mais de 170 países, ocupando área de 43,1 milhões de hectares, com uma área adicional de pouco mais de 35,1 milhões de hectares que são utilizadas em atividades produtivas não agriculturáveis, mas em conformidade com as principais legislações internacionais vigentes.

Segundo a IFOAM (International Federation of the Organic Agriculture Movement), existem atualmente dois milhões de produtores orgânicos no setor primário, milhares de empreendedores que atuam no processo dos produtos com maior valor agregado nos segmentos de: alimentos, bebidas, têxteis, cosméticos, decoração e o artesanato. Nessa ordem, produtos com selos de sustentabilidade estão sendo agregados ao processo de certificação orgânica.

Atualmente, 82 países possuem regulamentação própria, incluindo o Brasil. Após passar por um longo processo de regulamentação, de quase 10 anos, em 2011 foi regulamentada no país a Lei 10.831.

O número de consumidores cresce a cada dia e o mercado global movimenta perto de US$ 80 bilhões de dólares/ano. No Brasil, ainda tem muito a crescer porque o mercado é inicial, por isso, nosso objetivo é nos organizar e fazer parte deste mercado global.

Além do segmento de orgânicos, novos produtos surgem no mercado à partir de iniciativas considerando os aspectos culturais da região e povos produtores, o desenvolvimento sócio-econômico gerado e as preocupações com o impacto ambiental. Uma parte destes produtos, em grande maioria já com selos de atributos sustentáveis, também são produzidos dentro de nossos biomas, e aparecem em alguns casos juntamente com o selo de produtos orgânicos. Orgânicos e sustentáveis vem sendo atributos comuns dos consumidores do mundo e a proposta é de integrar estes atributos na nossa proposta de valorno trabalho do Conselho.

Conheça nossa iniciativa.

Queremos a sua participação.

Faça parte desse momento de estruturação do setor de orgânicos, naturais e sustentáveis. Vamos fazer do Brasil referência mundial no segmento. Vamos – juntos – fazer a diferença e mostrar o trabalho de cada empresa.

Venha fazer parte do ORGANIS - Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável.

A

Atitude

A partir de uma percepção de que a união de um pequeno grupo de pessoas e empresas possibilitou a construção de um projeto e que havia uma demanda para que esse projeto deixasse de ser uma simples ferramenta de apoio ao desenvolvimento, tomamos a decisão para uma construção maior e mais ambiciosa. Assim foi constituído o ORGANIS – Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável, iniciativa realizada pelo mesmo grupo de pessoas que há anos atuam no Projeto Organics Brasil, que por anos têm sido estimulados e provocados para criar uma instituição jurídica, com atuação representativa, no âmbito de atender todos os interesses da cadeia produtiva de produtos orgânicos e sustentáveis. Da produção à comercialização até chegar ao consumidor final, o grande desafio é como construir uma representatividade para atender aos interesses de todos. No setor primário, produtores e agricultores, pequenas cooperativas e grandes associações de produtores, de empresas, empreendedores; no setor secundário, empresas de transformação e agregação de valores, de prestadores de serviços; até aos consumidores finais.

Ter a honra de representar estes grupos é o escopo do ORGANIS, com o objetivo de construir a representação do setor para promover o desenvolvimento de toda a cadeia, de forma integrada e unindo todos que se identificarem com a missão e visão do ORGANIS. Neste processo, planejamos adicionar parceiros, apoiadores e integrantes da sociedade civil, seja privada ou pública, que atuam e contribuem para a promoção do desenvolvimento do setor. Toda a construção seguirá o modelo de crescimento de forma orgânica e organizada. A conscientização para construir um caminho comum, depende da participação ativa de cada um em torno de uma organização setorial. Esta é a nossa proposta de valor e este é o que propomos realizar.

>>>
B

Biomas

Nenhuma descrição melhor do que a forma como Pero Vaz de Caminha descreveu: “uma visão do paraíso” ao avistar o Brasil, em 1500, chegando pela costa do Nordeste. Um paraíso que visto através da imagem inicial de um grande tapete verde, mas que escondia por trás ricas áreas de campos de savana, zonas áridas e úmidas, florestas tropicais e diferentes povos que viriam a compor um local onde virou berço para abrigar povos vindos de todas as partes do mundo. Atualmente, os biomas Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga, Pampas e Pantanal constituem o berço que abriga povos, sua biodiversidade e as riquezas que fazem do Brasil o destaque como um país orgânico por natureza. A principal virtude de nossos biomas é a característica na forma endêmica da grande parte da fauna e flora, ou seja, nenhum outro país tem espécies e variedades como a nossa. Essa condição nos faz ser um país orgânico pelo nome e orgânico por natureza.

>>>
C

Curadoria

Com o objetivo de fazer a construção de uma entidade de forma cuidadosa, imparcial e apreço aos valores do segmento, e também considerando todas as dificuldades e conquistas do passado recente do setor no Brasil, reunimos um grupo de pessoas que concordaram em colaborar de forma voluntária na elaboração e avaliação das propostas executivas. Todas as contribuições dadas ajudaram a construir este Conselho no formato inicial, de modo que não constitui um modelo definitivo, mas o início de uma plataforma de trabalho, que irá se adaptar e ajustar aos anseios de seus associados, sem perder o foco na missão e visão do setor.

Listados em ordem alfabética, os Conselheiros Curadores que ajudaram nesta construção inicial são:

Abdala J. Abdala

Amedeodi San Marzano

Bruno Blecher

Carla Boin

Christophe Allain

Fábio S. V. Ramos Filho

Fernando Augusto de Souza

Hélio Silva

Henrique Penna de Siqueira

Marcelo Takaoka

Marcello S. A. Brito

Maria Beatriz Costa Blay

Ming Chao Liu

NeltonFriederich

Pedro Paulo Diniz

Roberto Rodrigues

Rogério Dias

Sandra Caires

Vilmar Gadens

>>>
D

Desafios

Como toda iniciativa desta natureza, não será fácil nem simples. Já participamos como coadjuvantes, apoiadores e incentivadores em várias ações anteriores com a proposta deformar uma associação. Juntos, nos empolgamos com a perseverança e comprometimento de muitos parceiros e amigos, mas também nos frustramos em várias ocasiões pela falta de força e união necessárias para que qualquer iniciativa desta natureza se viabilizasse. Tudo faz parte de um processo de amadurecimento de um setor que existe há mais de duas décadas, mas com pouco mais de quatro anos de regulamentação. Os desafios que teremos pela frente são: conhecer os diferentes atuantes da cadeia produtiva nos setores primário, secundário e terciário, integrar os interesses de cada grupo em toda a cadeia produtiva, amenizar as diferenças entre os pares, abrir espaços para todos atuantes nos diferentes segmentos e promover o desenvolvimento e crescimento do setor no mercado. União e Colaboração serão as grandes virtudes desse desafio e sinal de que estamos no caminho certo.

>>>
E

Estatuto

Nossas diretrizes e ordens de atuação estão apresentadas na forma de um Estatuto Social,que serve de referência inicial para essa construção, com novas inspirações e idéias; convergência com os objetivos e a missão.

Clique para ler o Estatuto Social.

>>>
F

Facilitador

Através do Conselho ORGANIS, promover eventos para os associados interagirem e formarem uma representação institucional (privada ou pública) necessárias para lutar por seus interesses. Facilitar o processo de conectar elos da cadeia produtiva, organizar eventos para aproximar os integrantes, estimular o desenvolvimento de parcerias comerciais, com a união do setor e ser o agente catalizador para o desenvolvimento do segmento no Brasil e no exterior.

>>>
G

Governança

A estruturação de gestão do Conselho se forma por uma governança objetiva, pragmática e sem burocracia, que se orientará através de um Conselho Curador, formado por lideranças - na condição de pessoas físicas - que atuam nas esferas da sociedade civil, em entidades privadas e públicas do segmento.

As manifestações dos Conselheiros Curadores deverão sempre refletir os seus valores próprios, ser imparcial nas suas tratativas, isentas de qualquer obrigação, interesse ou representação dos órgãos ou entidades em que atuam. Desta forma, cada um servirá para ajudar na orientação e estabelecimento das diretrizes e ações que o Conselho ORGANIS deverá passar aos executivos nomeados. A Diretoria Executiva será formada, inicialmente, por um Diretor Executivo e um Diretor Jurídico com mandato de três anos.

>>>
H

História

Em 2005, foi criado o Projeto Organics Brasil, iniciativa da Apex Brasil que incentivou o IPD a ser uma entidade proponente setorial para promover o segmento de produtos orgânicos no mundo, quando ainda não existia qualquer regulamentação para o setor no Brasil. Na época, o desconhecido IPD - Instituto de Promoção do Desenvolvimento - contava como apoio da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, através do então Presidente Rodrigo Rocha Loures - maior apoiador e incentivador de ideias inovadoras com o desafio inicial de construir um projeto setorial no Estado do Paraná, e que posteriormente foi concretizado no modelo de um projeto setorial nacional – Projeto Organics Brasil.

Nestes dez anos de grandes desafios, esforços foram empenhados para que o Organics Brasil fosse mais do que um projeto, mas uma plataforma de organização para produtores, empresas e empreendedores do setor, construindo a história de crescimento do segmento.

Em 2010, a parceria com a FIEP terminou e o IPD iniciou um caminho com visão nacional e não mais regional. O IPD, com seus colaboradores individuais, vem fazendo esta construção e pela evolução natural e orgânica de qualquer entidade setorial, precisou se reinventar.

Naquele ano, foi realizado um Planejamento Estratégico Quinquenal, indicando dez ações pontuais para o projeto cumprir sua missão, revelando uma visão de futuro para a construção de um setor desenvolvido e organizado.

Em 2015, o Projeto Organics Brasil completou 10 anos de atividades, e atualmente é reconhecida como referência nacional e internacional voltada para o desenvolvimento do setor de produtos orgânicos e sustentáveis.

Nessa dinâmica, em 2014, numa reunião de alinhamento estratégico com os participantes do Projeto Organics Brasil, foi sugerido que o IPD se transformasse numa entidade do setor. Nesta condição, o IPD - conjuntamente com a Apex-Brasil - compartilhou com a ideia do setor se organizar, criar sua própria entidade, com caráter jurídico próprio de uma Associação, para atuar de forma organizada e estruturada para representação e atendimento às principais demandas dos integrantes na cadeia produtiva.

Assim foi fundado o ORGANIS - CONSELHO BRASILEIRO DA PRODUÇÃO ORGÂNICA E SUSTENTÁVEL, a partir do comprometimento da atual equipe do IPD que formou uma entidade setorial com missão, visão e objetivos próprios, autonomia de gestão e modelo de governança comum Conselho Curador.

>>>
I

Inteligência

Servir aos seus associados e buscar informações atualizadas do mercado, da legislação, das políticas públicas no país e do mercado global. Seguiremos com o mesmo modelo no Organics Brasil onde a prioridade será construir banco de informações estratégicas para fundamentar o desenvolvimento do mercado, prioridade do ORGANIS.

>>>
J

Juridicidade

A legislação dos orgânicos, Lei 10.831,foi publicada em 2003 e só regulamentada em 2011. Muito se tem ainda a complementar e ajustar para os diversos segmentos que hoje tentam entrar em conformidade. Buscaremos defender assuntos e temas de interesses do setor e continuar com o desafio de participar nas discussões dos ajustes na Lei, seja na forma de normativas ou revisões, criar outras que possam atender o segmento, na medida em que a cadeia produtiva se torna mais complexa, com diferentes segmentos interagindo com objetivos comuns. Alimentos e bebidas, cosméticos e têxteis são os principais segmentos que buscam bases jurídicas para sua validação.

>>>
K

Know-how

Acreditamos que o presente grupo adquiriu, nos últimos dez anos atuando no Organics Brasil, intenso conhecimento do setor no Brasil e no mundo. Conhecer de perto, do pequeno produtor familiar às grandes empresas exportadoras, para construir uma extensa rede de relacionamento com pesquisadores, professores e consultores técnicos que atendem a cadeia produtiva com pioneirismo e dinamismo. Dessa maneira, dividimos a responsabilidade de fomentar o crescimento do segmento e queremos continuar. Temos buscado formas de mostrar a realidade deste segmento em pesquisas e dados estatísticos, servido de referência para canais de mídias impressas, audiovisuais e digitais com notícias e novidades/tendências. Por fim, queremos continuar a construir relacionamentos no país e no exterior de forma que possamos acompanhar, semear e atuar na evolução global do setor.

>>>
L

Legislação

Podemos afirmar que, coincidentemente ou não, os primeiros trabalhos em torno da regulamentação da agricultura alternativa se deu a partir da conferencia das Nações Unidas em 1992 no Rio de Janeiro (Rio 92), quando os consumidores começaram a se preocupar com os impactos que a agricultura e os alimentos causavam para a saúde do indivíduo e ao planeta.

No Brasil, as primeiras iniciativas de um debate para regulamentação da agricultura alternativa, também conhecida como agroecológia, ocorreram em 1993, e as primeiras publicações de normativas são datadas de 1998 e 1999, com normas baseadas inicialmente em padrões internacionais de certificação privada (ISO 65).

Em 2002, com a formação de um Grupo de Discussão para a Agricultura Orgânica, foi criado um fórum com a participação de toda a sociedade, que chegou a um consenso, em 2003, com a publicação da Lei 10.831. Esta Lei é o primeiro marco regulador do setor.

A partir daí, foram complementadas com decretos e normas para ajustar a diferentes demandas. Em 2011, a Lei foi regulamentada com a introdução obrigatória do Selo Nacional em todos os produtos.

A legislação continua em evolução, se adequando às diferentes demandas.

Veja a atual composição de toda a Lei, decretos e instruções no link:
http://www.agricultura.gov.br/desenvolvimento-sustentavel/organicos/legislacao

>>>
M

Missão

Desenvolver, promover e representar os segmentos nacionais da cadeia produtiva de orientação Orgânica e Sustentável no mercado global. Ser reconhecida como interlocutor legítimo de produtores, processadores, e de empresas e empreendedores brasileiros da cadeia de produção orgânica e sustentável, buscando a união de seus segmentos através da difusão e o aprimoramento de programas de educação e capacitação de indivíduos, e por fim promover e identificar oportunidades de inserção e comercialização dos Produtos Orgânicos e Sustentáveis no mercado.

>>>
N

News

Deverá ser o canal para apresentar novos produtos, associados em destaque, tendências de consumo, notícias que são destaque na mídia nacional e internacional, lançamentos de produtos, novidades nos diversos setores da economia, entrevistas, personalidades, novas revistas, enfim, qualquer matéria jornalística que aborde o segmento e seja relevante para o setor. Por isso, se o associado tem algo a contar, usará o canal de sugestões e comentários, e ajudar a contar a história.

news@organis.org.br

>>>
O

Organismo

Como qualquer proposta dinâmica, é preciso posicionar nosso meio e saber se relacionar com ele. Saber interagir com a diversidade em qualquer momento e local, conquistar os objetivos. Ser orgânico pressupõe entender que o mundo ao nosso redor se movimenta e temos que acompanhar a evolução e fazer parte de um todo. O ORGANIS buscará construir parcerias, convênios, acordos, ações, e se inserirá em todas as iniciativas eatividades que possam buscar apoios e benefícios aos associados, promovendo o desenvolvimento. Entidades governamentais e privadas de fomento, outras associações, empresas, indivíduos, enfim, seremos ativos em todas as dimensões para buscar soluções. Neste momento, o IPD e a Apex-Brasil (mercado externo) são os primeiros entes da órbita de ação do ORGANIS ,e cresceremos de forma a agregar novos parceiros e colaboradores nesta jornada. Seja mais um que participa não apenas do ORGANIS, mas das ações e iniciativas que podem como um projeto ou uma simples inscriçãojunto aos parceiros, sempre respeitando as condições de exigibilidade que possam existir para se fazer parte.

>>>
P

Pessoas

O ORGANIS está sendo constituído dentro da história e com o apoio operacional dos colaboradores que há anos atuam no Organics Brasil. Como fundadores, acreditamos que essa instituição irá promover o crescimento do setor de modo dinâmico, atual e inovador. Todos acreditam que o setor precisa de uma organização de representação nacional, ter voz ativa no mercado e mostrar seus valores. Todos possuem intensa vivência, talento e ambição para se envolver com o setor; conhecem suas dificuldades, os desafios e compartilham dos valores e conceitos que acreditamos ser essenciais para ocuparmos o espaço e aproveitar as oportunidades.

As pessoas envolvidas nessa missão com suas esperadas atuações estão apresentadas em ordem alfabética:

ALETHEA MACENA
Quem, onde, como e por quê? Responsável pelo desenvolvimento da inteligência de mercado, construção de modelos de dados estatísticos do setor, com coleta e manutenção de dados de mercado e institucionais, desenvolvimento de ações comerciais no Brasil e no exterior. alethea@organis.org.br

COBI CRUZ
Criar, inovar e inspirar. Construiu o branding do Organics Brasil e será responsável pela construção da marca ORGANIS com toda a criação, desenvolvimento e sua aplicação em materiais de comunicação visual e onde quer que a marca setorial seja honrosamente aplicada. cobi@cobidesign.com.br

EDUARDO RIGHI
Saber resolver e lidar com a nossa extensa burocracia do dia a dia e resguardar de todas responsabilidade sujeitas no dia a dia. Responderá por todos os assuntos jurídicos e administrativos do Organis. juridico@organis.org.br

MARCIA MARÇAL
Conversar, conhecer e entender as necessidades que os indivíduos e suas empresas ou instituições que representam, será a responsabilidade que na pessoa da Márcia já é conhecida pela sua ativa atuação, e que irá se iniciar no relacionamento com o atendimento a todos associados do Organis. marcia@organis.org.br

MICHELLE THIAGO
Números e controles são suas especialidades. Será a controller financeiro e administrativo do Organis, responsável por toda parte financeira e contábil do dia a dia do Conselho. michelle@organis.org.br

MING CHAO LIU
Coordenador executivo do projeto Organics Brasil desde 2004, articulador junto a empresas, pessoas e instituições nacionais e internacionais. Desempenhará o papel de Diretor Executivo e exercerá a articulação institucional e gestão executiva do ORGANIS. mingliu@organis.org.br

NATHAN BROETTO
Facebook, flickr, website. Será o gestor de mídias digitais e comunicação visual do Organis. news@organis.org.br

VERA MOREIRA
Vender nossa imagem, nossas histórias, nos inserir nas editorias dos principais meios jornalísticos de economia e negócios e falar de coisas do bem. É a gestora de relacionamento com a Imprensa nacional e internacional do Organis. vera@veramoreira.com.br

>>>
Q

Quando?

Nossa agenda de atividades será apresentada para que o associado possa se programar e incorporar ações com objetivos institucionais, educacionais, de capacitação, comerciais e até agendas que possam sugerir. Por enquanto, a agenda dos próximos meses contempla o lançamento oficial do Organis que ocorrerá em São Paulo no próximo dia 23 Novembro 2015, e que deveremos atualizar em breve com as ações nacionais e internacionais.

>>>
R

Resposta

O que é um produto orgânico? O que é um produto sustentável? Quem são estes consumidores? Como saber se um produto é orgânico? O que é um produto certificado? Orgânicos certificados no Brasil são orgânicos em qualquer parte do mundo? Como faço para começar a produzir de forma orgânica? Quais os cuidados que devo tomar antes de entrar neste segmento? Onde encontro produtos na minha cidade? Quem produz? Quanto se produz? Quem são os compradores de meus produtos? Como faço para fazer parte do ORGANIS? Estas são algumas das perguntas que pretendemos responder nesta iniciativa. E você tem mais alguma dúvida ou comentários? Apresente-se a nós e envie sua dúvida.

contato@organis.org.br

>>>
S

Sustentabilidade

uma das palavras mais ‘abusadas” em todos os sentidos, formas e contextos. Muitas vezes utilizada de maneira leviana e indiscriminada, como política de aparência, e “green washing”. Sustentabilidade é Atitude, é o que o ORGANIS trabalhará na sua essência!

Terá atuação em todos os segmentos da cadeia produtiva. À partir da produção primária, passando por empresas processadoras de transformação, comércio, varejo e serviços que passam por um processo de certificação com regulamentação nacional e internacional.

Por ser um segmento com regulamentação recente, no qual alguns setores como os dos cosméticos e produtos têxteis ainda passam por ajustes, estaremos acompanhando de perto este processo da elaboração da regulamentação. Neste caso, a atuação seguirá as orientações que mais se adequarem aos interesses dos associados participantes, que estejam atuando no mercado nacional e internacional. Setores a serem atendidos:

Alimentos e Bebidas

Cosméticos

Produtos Têxteis

Bens e Serviços

>>>
T

Tendências

Observar o mundo ao nosso redor permite perceber onde estamos e como deveremos nos posicionar. Precisamos estar sempre atualizado às principais tendências de comportamento humano, hábitos de consumo e como interagimos com o nosso meio. Utilizaremos ferramentas como: pesquisas, notícias, mídias sociais, eventos, e outras fontes para que tenhamos informação que permita interagir com consumidores em potencial. Pretendemos apresentar cases, histórias e estudos que associe o desenvolvimento do setor com os hábitos e costumes dos consumidores, no Brasil e no mundo, servindo de ferramenta e inspiração para você contar a sua história também.

>>>
U

União

Mais de 10.750 unidades produtivas certificadas no país, mais de 1.215 plantas de processamento, mais de 65 associações e cooperativas, perto de 15.000 produtores e mais algumas dezenas de milhares de produtores da agricultura familiar atuando em todo o território nacional, com produtos aplicados nos segmentos de alimentos e bebidas, indústria de cosméticos e bens de higiene pessoal, setor têxtil e de serviços. Unir os interesses e buscar o desenvolvimento do setor será o resultado de um trabalho que depende da vontade e união dos esforços de todos.

>>>
V

Visão e Valores

Nossa Visão e Proposta de Valor: Construção e organização do setor produtivo e comercial da cadeia de produtos orgânicos e sustentáveis no país, buscando sua excelência na inovação, agregação de valores, capacitação técnica e operacional das cadeias produtivas, respeitando todos os aspectos legais quanto a manutenção da vida humana e de seu meio ambiente.

>>>
W

World

Nos últimos 20 anos, o segmento de orgânicos apresenta o maior crescimento e amadurecimento. Países vêm estabelecendo suas regulamentações com o objetivo de apresentar maior segurança aos seus consumidores, maior credibilidade com o mercado e criar oportunidades para a cadeia produtiva, que seguem princípios e valores sócio-ambientais certificados. Atuar no mercado internacional já é uma realidade através da parceria com a Apex-Brasil, através do projeto Organics Brasil. Os países têm celebrado acordos comerciais e técnicos para facilitar o engajamento dos seus pares. Estar presente neste processo globalizado será também missão do ORGANIS. A participação nos principais movimentos de discussão e engajamento do setor produtivo, técnico e regulatórios está na pauta das ações a serem executadas. Entidades como a IFOAM (International Federation of Organic Agricultural Movement), OTA (Organic Trade Association),COTA (Canadian Organic Trade Association) e a UNFSS (United NationsForumonSustainability Standards) são algumas das iniciativas de atuação e inserção do ORGANIS no mercado global institucional.

Conheça maiores detalhes como nos conectamos com o mercado global.

www.organicsbrasil.org     www.apexbrasil.com.br

>>>
X

X da Questão

Desde a década de 70, o movimento orgânico vem passando por transformações. No mercado mundial, quase sempre o movimento foi tratado como um mercado pequeno, de modismo por alguns e insignificante por outros, de nicho para os mais céticos, e mainstream para os mais realistas, mas a grande verdade é que em pleno século XXI, o segmento tem sido reconhecido como o grande vetor de aglutinação de práticas de sustentabilidade e da nova ordem econômica.

Temas como: segurança alimentar, mudanças climáticas, inserção social, redução de pobreza, saúde, meio ambiente e biodiversidade estão relacionados diretamente às práticas de atuação do segmento orgânico.

Nesta condição, o mundo orgânico e sustentável é um importante movimento na qual suas práticas integram um elo entre as áreas da agricultura, indústria, produção animal, meio ambiente e consumo. Seus objetivos são: unir interesses comuns entre seus setores, criação de valor ao longo de toda a sua cadeia produtiva, possibilitar o amadurecimento e crescimento e promover a inclusão social aproximando indivíduos e organizações na sociedade. Como manter este elo firme da nossa sociedade é o X da questão.

>>>
Y

Geração Y

Conhecida também como a Geração Milênio, compreende pessoas nascidas entre os anos 80 e final da década de 90, período que coincidiu com o surgimento do movimento orgânico (anos 80) no Brasil e no mundo. Época de grandes avanços tecnológicos, prosperidade econômica, pessoas vivendo em um meio altamente urbanizado, conectado por meios eletrônicos, formado por consumidores com características de estar em atividades múltiplas, com baixa fidelização a produtos e marcas, e maior aderência a conceitos de valores individuais. Foi a geração que nasceu na era tecnológica digital, tiveram contato com suas ferramentas iniciais, que hoje são aparelhos básicos para estar conectado à sociedade, ao seu mundo e o seu meio.

Conectam-se ao mundo de forma prática, com mobilidade, sem fronteiras físicase com muita liberdade.

Estudos afirmam que o grande desenvolvimento do segmento de produtos saudáveis, orgânicos e naturais, advém pela grande demanda desta geração de consumidores, que vem ditando padrões e conceitos que a indústria e o grande varejo já vêem como uma tendência mundial.

Neste cenário, são os novos consumidores do mercado, mais exigentes, mais informados e com grande peso na tomada de decisões de compra, e que devemos estar conectados.

>>>
Z

E Agora Zé?

Acreditamos que toda a construção de uma entidade setorial pressupõe ter o comprometimento, a acreditação e a validação à partir de seus indivíduos e empresas que fazem parte e que defendem sua causa.

A conscientização para construir um caminho comum para os nossos interesses, sempre é mais fácil e ágil quando temos maior aderência e participação ativa de todos em uma organização. Toda entidade, como qualquer empresa ou grupo social que objetiva atuar de forma de uma representação, depende de apoio financeiro próprio de seus membros.

É essencial que você acredite que podemos construir uma entidade setorial forte e atuante juntos. Esperamos que o setor reconheça a importância que uma entidade setorial pode representar para o seu próprio desenvolvimento.

E, finalmente, esperamos que faça parte do Organis, seja de maneira individual ou através de sua representação, com seus direitos e deveresdefinidos no Estatuto Social. Entre em contato agora para saber como ser membro desta iniciativa.

contato@organis.org.br

>>>